ORAÇÃO DE INTERCESSÃO

Santíssima Trindade, Pai, Filho, Espírito Santo, nós vos agradecemos a vida de Madre Leônia. Nós vos louvamos pela sua disponibilidade em cumprir a vossa vontade, seguindo Jesus Missionário e Redentor. Nós vos bendizemos pelo seu amor dedicado à Igreja, anunciando o Evangelho e servindo os irmãos e irmãs principalmente os mais pobres.

Suplicamo-vos ó Pai, a graça de amar e servir os pobres e a missão evangelizadora da Igreja. Que a Eucaristia e o Imaculado Coração de Maria nos ajudem a sermos fiéis ao vosso projeto divino, vivendo o ideal de amor e santidade a que somos chamados pelo batismo.

Concedei-nos, ó Pai misericordioso a glorificação de Madre Leônia, aqui na terra, para o incentivo nosso e de toda Santa Igreja. Por intercessão dela, vos pedimos a graça... (cada um pense, em silêncio na graçca que mais deseja receber de Deus). Por Cristo Nosso Senhor. Amém.


Imprimatur: +Dom Albano Cavallin


Londrina, 2 de fevereiro de 1998


Comunicar as graças alcançadas por intercessão de Madre Leônia Milito ao email tereclar@sercomtel.com.br

Arigatou Gozaimasu

Arigatou Gozaimasu
O blog recordar é viver agradece sua visita...

sábado, 15 de janeiro de 2011

João Paulo II será beatificado em 1º de maio de 2011


CIDADE DO VATICANO, sexta-feira, 14 de janeiro de 2011 (ZENIT.org) - O Papa João Paulo II será beatificado no dia 1º de maio, que neste ano coincide com a festa da Divina Misericórdia, no segundo domingo da Páscoa.
Quem fez o anúncio hoje foi o porta-voz do Vaticano, Pe. Federico Lombardi SJ, após a divulgação da aprovação do decreto sobre o milagre atribuído à intercessão de Karol Wojtyla.
Uma nota da Congregação para as Causas dos Santos, publicada hoje pela Sala de Imprensa da Santa Sé, detalha o Iter da causa de beatificação de João Paulo II.
A data da beatificação do Papa polonês foi divulgada depois que, em 11 de janeiro, os cardeais e bispos da Congregação consideraram "milagrosa" a cura da freira Marie Pierre Simon, por intercessão de João Paulo II.
A causa de beatificação de João Paulo II, "por Dispensa Pontifícia, começou antes do decorrer de cinco anos a partir da morte do Servo de Deus, exigidos pela regulamentação vigente", lembra o relatório publicado hoje.
"Este procedimento foi solicitado pela imponente fama de santidade" de João Paulo II, "em vida, em morte e depois da morte", continua o texto.
"No demais, foram observadas integralmente as disposições canônicas a respeito das causas de beatificação e canonização", esclarece a congregação.
A nota prossegue explicando o processo seguido para a beatificação do antecessor de Bento XVI: entre junho de 2005 e abril de 2007, houve uma investigação diocesana principal romana e as rogatórias em diversas dioceses sobre a vida, as virtudes, a fama de santidade e de milagres de João Paulo II.
"A validez jurídica dos processos canônicos foi reconhecida pela Congregação para as Causas dos Santos, com o Decreto de 4 de maio de 2007", diz a nota.
"Em junho de 2009, examinada a respectiva Positio, nove consultores teólogos do dicastério deram o seu parecer positivo sobre as virtudes heroicas do Servo de Deus", indica o texto.
"No seguinte mês de novembro, seguindo o procedimento habitual, a própria Positio foi então submetida ao parecer dos cardeais e bispos da Congregação para as Causas dos Santos, que se expressaram com sentença afirmativa."
"Em 19 de dezembro de 2009, o Sumo Pontífice Bento XVI autorizou a promulgação do Decreto sobre as virtudes heroicas", recorda a nota.
"Frente à beatificação do Venerável Servo de Deus, a Postulação da Causa apresentou ao exame da Congregação para as Causas dos Santos a cura do ‘Mal de Parkinson' da irmã Marie Simon Pierre Normand, religiosa do Institut des Petites Soeurs des Maternités Catholiques."
"Como de costume, as abundantes Atas da Investigação Canônica, regularmente instruída, junto aos detalhados exames médico-legais, foram submetidos ao exame científico da Comissão Médica da Congregação para as Causas dos Santos, em 21 de outubro de 2010."
"Seus especialistas, tendo estudado com o rigor habitual os testemunhos do processo e todos os documentos, expressaram-se a favor da natureza cientificamente inexplicável da cura."
"Os teólogos consultores, após examinarem as conclusões médicas, em 14 de dezembro de 2010 procederam à avaliação teológica do caso e, por unanimidade, reconheceram a singularidade, antecedência e coralidade da invocação dirigida ao Servo de Deus João Paulo II, cuja intercessão havia sido eficaz para os fins da prodigiosa cura."
"Finalmente, em 11 de janeiro de 2001, realizou-se a sessão ordinária dos cardeais e bispos da Congregação para as Causas dos Santos, que emitiram uma unânime sentença afirmativa."
Esta sentença, conclui a nota, considera "milagrosa a cura da Irmã Marie Pierre Simon, realizada por Deus de maneira cientificamente inexplicável, após a intercessão do Sumo Pontífice João Paulo II, invocado com confiança, tanto pela própria curada como por muitos outros fiéis".

O milagre que permitirá a beatificação de João Paulo II
Uma freira francesa curada do Mal de Parkinson
CIDADE DO VATICANO, sexta-feira, 14 de janeiro de 2011 (ZENIT.org) - O cardeal Angelo Amato, prefeito da Congregação para as Causas dos Santos, confirmou nesta sexta-feira que o milagre reconhecido por Bento XVI como atribuído à intercessão de João Paulo II é a cura de uma religiosa francesa que sofria do Mal de Parkinson.
É o caso da irmã Marie Simon Pierre (cujo nome de batismo é Marie-Pierre), da Congregação das Irmãzinhas das Maternidades Católicas, nascida em 1961, em Rumilly-en-Cambrésis.
De acordo com o cardeal Amato, "a doença foi diagnosticada em 2001, pelo médico que a atendia e por outros especialistas. A religiosa recebeu os cuidados paliativos que, obviamente, mais que curá-la, apenas atenuavam parcialmente as dores".
"Com a notícia do falecimento do Papa Karol Wojtyla, que sofria da mesma doença, a Irmã Marie e as religiosas da congregação começaram a invocar o Pontífice para pedir a cura", acrescentou o cardeal Amato.
"Em 2 de junho de 2005, cansada e oprimida pelas dores, a religiosa manifestou à superiora sua intenção de renunciar ao trabalho profissional" em uma maternidade de Paris.
"No entanto, a superiora a convidou a confiar na intercessão de João Paulo II. Ao retirar-se, a freira passou uma noite tranquila. Quando acordou, no dia seguinte, sentiu-se curada. As dores desapareceram e ela deixou de sentir a rigidez nas articulações."
"Era 3 de junho de 2005, festa do Sagrado Coração de Jesus - recorda o purpurado salesiano. Ela interrompeu imediatamente o tratamento e procurou o médico que a atendia, quem não teve outra possibilidade a não ser constatar a cura."
Ainda que Bento XVI tenha concedido a licença para não esperar os cinco anos exigidos para começar a causa de beatificação de João Paulo II, o processo foi submetido a todas as exigências requeridas para qualquer outro caso.
O cardeal Amato esclarece que, "para honrar dignamente a memória deste grande Pontífice, a causa foi submetida a um escrutínio particularmente detalhado, para evitar qualquer dúvida e superar qualquer dificuldade".
A investigação diocesana sobre a cura inexplicável da irmã Marie Simon Pierre foi realizada em 2007, pela arquidiocese de Aix-en-Provence, onde se encontra a maternidade na qual a religiosa exercia então o seu trabalho.
O postulador da causa de beatificação de Karol Wojtyla, o sacerdote polonês Slawomir Oder, explicou que o caso da irmã Marie Simon Pierre foi escolhido, entre muitos outros recebidos, por dois motivos: foi curada da doença sofrida pelo próprio Papa e, após sua recuperação, foi capaz de continuar entregando sua vida, nas maternidades, à "batalha pela dignidade da vida", também enfrentada pelo Pontífice com seu magistério e ministério.

João Paulo II: amigo e intercessor, explica porta-voz vaticano
Amor e fé explicam suas obras, afirma Pe. Lombardi
CIDADE DO VATICANO, sexta-feira, 14 de janeiro de 2011 (ZENIT.org) - O segredo da santidade de João Paulo II não está tanto em suas obras, mas na fé e no amor que as tornaram possíveis, afirma o porta-voz vaticano. Agora, ele é um amigo e intercessor do povo, acrescenta.
O Pe. Federico Lombardi SJ, diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, explicou nesta sexta-feira o anúncio da aprovação, por parte de Bento XVI, de um decreto de reconhecimento de um milagre atribuído à intercessão de Karol Wojtyla.
O reconhecimento deste milagre abre as portas para a beatificação do Papa polonês, falecido em 2 de abril de 2005, quando a Igreja havia entrado liturgicamente no domingo da Divina Misericórdia, e que será elevado à glória dos altares em 1º de maio de 2011, também domingo da Divina Misericórdia.
"A Igreja reconhece que Karol Wojtyla deu um testemunho eminente e exemplar de vida cristã; é um amigo e um intercessor, que ajuda o povo em caminho a dirigir-se a Deus e encontrar-se com Ele", reconhece o Pe. Lombardi, no editorial do último número de Octava Dies, semanário do Centro Televisivo Vaticano.
"Por mais extraordinárias que sejam, não estamos nos focando nas obras de João Paulo II, mas em seu manancial espiritual, em sua fé, sua esperança, sua caridade", diz ele.
"As obras merecem admiração precisamente porque são expressão da profundidade e autenticidade de sua relação com Deus, do seu amor por Cristo e por todas as pessoas humanas - começando pelas pobres e fracas -, do seu terno amor filial pela Mãe de Jesus", afirma o porta-voz.
O Pe. Lombardi considera que João Paulo II é lembrado, dessa forma, "por seu profundo e prolongado recolhimento na oração; pelo seu desejo de celebrar e proclamar Jesus como o Redentor e Salvador da humanidade; por torná-lo conhecido e amado pelos jovens e pelo mundo inteiro; por sua atenção carinhosa aos doentes e sofredores, por suas visitas aos povos mais necessitados de alimento e de justiça; e, finalmente, por sua paciente e genuína experiência de sofrimento pessoal, de doença vivida na fé, diante de Deus e todos nós".
"Sua vida e seu pontificado se caracterizaram pela paixão por dar a conhecer ao mundo em que vivia - o mundo da nossa dramática história ao longo de dois milênios - a grandeza reconfortante e inspiradora da misericórdia de Deus. É disso que o mundo precisa."
"Por isso, teremos a alegria de celebrar sua beatificação solene, no dia em que ele mesmo quis que toda a Igreja dirigisse seu olhar e sua oração à Divina Misericórdia", conclui.

Corpo de João Paulo II será trasladado
CIDADE DO VATICANO, sexta-feira, 14 de janeiro de 2011 (ZENIT.org) - O corpo do Papa João Paulo II será trasladado da cripta vaticana à basílica de São Pedro.
De acordo com a Santa Sé, o lugar escolhido é a capela de São Sebastião, sob o altar do Papa Inocêncio XI, situado à direita da basílica, entre a capela da Pietà, de Michelangelo, e a do Santíssimo Sacramento.
O traslado do ataúde acontecerá sem exumação. Portanto, o corpo de Karol Wojtyla não será exposto. Ficará fechado pela lápide de mármore, onde se pode ler Beatus Ioannes Paulus II.
O túmulo de João Paulo II na cripta vaticana atrai muitos dias mais de 20 mil peregrinos. É comum os fiéis deixarem flores, cartas e recordações sobre a lápide branca.


2 comentários:

  1. Querida amiga..sei que você é uma pessoa religiosa e de muita fé.
    Vamos orar pelas familias do Rio e das cidades castigadas pelas enchentes .Que Deus tenha miséricordia dessas vidas.
    ofereço meu award ,selinho de seguidores e o premio.Laços de Ternura.
    Esta na sala presentes seus.
    Estou seguindo seu blog venha seguir o meu.
    Um abençoado final de semana beijos sua amiga sempre,Evanir.
    www.fonte-amor.zip.net

    ResponderExcluir